Review: Fone de urêia Sennheiser GSP 300

Um review por Victor Hugo Charizado Coelhinho <suamae@trashmail.com>

(Monkey: Ai, meu povo, segue esse precioso review postado pelo Victor Hugo. Comentários pertinentes estão entre parêntesis para tentar motivar a legibilidade do texto e também porque quem manda aqui sou eu)

Cometi a sandice de gastar 630 cholos num fone de ouvido. Até aí tudo bem, pois fui movido pelos instintos maléficos do capitalismo e pela raiva de ficar cheio de farelo do revestimento do Razer Kraken Pro que eu possuía. Os gastos recorrentes com cotonetes e óleo jonhson para remover a sujeira das minhas orelhinhas não podiam continuar.

Aliado a isso vinha a surdez iminente que ele me causaria por conta do excesso de potência nos agudos, junto a minha preguiça de regular isso, e também à própria marca Razer (Monkey: que deve ser uma bosta, pelo que entendi), adquiri um fabuloso SENNHEISER GSP 300, periférico gamer bagulho pra jogo de entrada da tal marca (Monkey: ele queria mesmo era o GSP 600, mas tava liso e pegou o de pobre).

Primeiras Impressões

Aprendi com japoneses que a embalagem faz diferença sim. Confira as imagens (porcas) abaixo:

Foto interna da caixa. aqueles pontinhos ali são tipo uma tramela pra travar a embalagem e ela não se abrir por conta.
Foto frontal
Foto lateral

Foto da caixa (que eu coleciono).



Como podem ver (Monkey: só se for vocês, pois essas fotos merda não dá para ver é nada), a embalagem é bem humilde. A Razer, por exemplo, costuma trazer um monte de coisa junto com o pacote, como adesivos, cartinhas de felicitação pela sua compra e um monte de baboseira (Monkey: que não agrega nada, mas você poderá colar no carro ou no caderno da escola para se exibir). Concordo? Talvez. Mostra que pelo menos estão fazendo algo a mais pra cobrar caro. E Razer virou meio que uma grife, então tá certa a Razer.

Abri a caixa lá no trampo mesmo para me exibir e fingir trabalhar pra fazer aquele grau com a galera e fiz um breve teste com o conhecido aplicativo de música por transmissão on-line Spotify (Monkey: com as música do Pablito). A primeira sensação que tive foi a de conforto. Como podem observar os atentos leitores, o formato deste fone não é necessariamente redondo, mas levemente oval, acompanhando o formato do aparelho auditivo do usuário (Monkey: a.k.a. urêia). O revestimento é extremamente suave (Monkey: uy!) e permite ao cidadão que carrega o fone em sua cabeça que o use por horas sem maiores incômodos.

Antes de tudo, isso aqui é fone pra jogo, então o que vier fora disso é lucro. Abri o tal aplicativo em meu computador e coloquei a seguinte música em execução:
(Train of Thought é o melhor álbum do Dream Theater. Quem discorda é trouxa)
Parecia que eu estava ouvindo a música pela primeira vez. A quantidade de detalhes audíveis é infinitamente superior à de qualquer fone que eu tenha utilizado. Os graves e agudos são muito bem equilibrados, nada te judia dos ouvidos e tudo fica agradável de ouvir (exceto o tal do Pablito. Aquilo lá não tem como).

Mas vamos ao uso dele pro que ele serve: jogar.

Primeiro jogo: Overwatch

Tudo igual. Não senti muita diferença não, exceto na parte dos passos dos inimigos que são mais claros. Mas é que Overwatch é mais dedo no cu (Monkey: aqui, senhores, é que vamos conhecendo as preferências do Victor) e gritaria mesmo do que ouvir o que está rolando.

Segundo jogo: Counter Strike: Global Offensive

Aí meu amigo, tive que reaprender a ouvir no jogo. Os sons ficaram completamente diferentes. Mal consegui jogar direito (Monkey: o som de uma galinha confundia-se com o de um jumento). Alguns momentos depois e algumas configurações alteradas, cheguei a um ajuste confortável em que os tiros não eram tão zuados e eu conseguia ouvir os boneco andando (pra quem não joga o CS atual, ouvir os passos é uma das principais armas que você possui) (Monkey: pelo que entendi, dá para atirar com o barulho das havaianas do personagem. É isso mesmo?).

Depois de muitas partidas me senti um Deus. Não é à toa que o melhor time do mundo de CS (que é BR) usa Sennheiser. Os passos dos inimigos são muito mais nítidos, você sabe exatamente de onde eles vêm. Diga adeus aos Chico Call Errada no seu jogo (Monkey: êin?).

Comunicar com seu time é muito necessário no CS também. Aí testei o microfone. A redução de ruído ajuda bastante, minha filha gritando ao fundo (Monkey: porque cortou o dedo com o facão e eu nem vi porque tava jogando) não vai mais vazar no áudio. Muito bom isso, principalmente quando o coleguinha precisa de silêncio pra jogar em uma situação de desvantagem.

Terceiro jogo: Assassin’s Creed: Black Flag

Escolhi esse game porque tem coisa pra caralho acontecendo ao mesmo tempo. É conversa de transeunte, musiquinha de pirata, briga de faca, batalha naval, peido da SuaMãe™, entre outros eventos. E parece que tudo acontece ao seu lado. É de certa forma incomodante, gera uma poluição sonora que eu não estava querendo durante uma missão em que eu tenho que prestar atenção no que os boneco que eu estou espionando estão falando. Mas segue o jogo.

Resumão da bagaça


  • Graves e agudos equilibrados;
  • Som nítido, sem interferências;
  • Microfone com ruído zero, seu interlocutor vai te ouvir muito bem;
  • Isolamento externo, não escuto ninguém aqui em casa (minha esposa odiou isso) (Monkey: destaque!!! melhor feature ever);
  • Conforto extremo (Monkey: testou em vários lugares e não incomodou);
  • Muito bem construído, não tem nada de porco nele.
  • A embalagem é meio bosta. Se o correio vacilar contigo já chega
  • quebrada essa porra. Nem plástico bolha colocaram no pacote;
  • (Monkey: se você coleciona embalagens como eu, não vai gostar dessa ae)
  • Preço. Custa 4 recargas da minha cervejeira; (Monkey: seu cachaceiro PNC!)
  • O microfone não tem ajuste de proximidade com a boca do usuário,
  • apenas o de subir e descer; (Monkey: isso faz alguma diferença? Nunca havia atentado para essa necessidade).
  • Em situações onde muitos sons surgem dentro do game (Monkey: ou fora dele, vai saber…​), vira uma bagunça do cão.

Vale a pena, seu pokemón de quinta?

Se você não tá mendigando pra consertar a tela desse lixo de Moto G4 que você derrubou no chão anteontem, nem tá faltando comida na mesa da tua mulher e dos teus filhos, vale a pena sim. Serve tanto pra jogar quanto pra curtir um som e demais atividades, mas não é a melhor das opções no chamado custo-benefício. Se você for pra gringa e comprar (Monkey: ou pedir à bixa rica do MRJ para trazer pra você a muamba lá de Miami). Vale bastante porque na Amazon está por 98 Trumps.

Se você prefere comprar no Brasil, vai de Corsair Void, ou de algum da HyperX, sei lá. Te vira aí também porque não sou teu pai, Google tá aí pra isso.

Então é isso, valeu cambada.

Esse review é feito por um não especialista em áudio (Monkey: ou seja, fui maria vai com as outras e comprei pela marca, mas nem sabia se iria prestar). Quer reclamar, reclama pra puta que te pariu (Monkey: ou para SuaMãe, se estiver mais perto).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Review: Mi Bluetooth Speaker